Como se adaptar aos aparelhos auditivos?


Olá, gente, como estão?

Hoje de manhã quando acordei estava nostálgica e me recordando dos meus primeiros dias e meses usando meu aparelho auditivo.

Como foi para vocês esse primeiro período?

Não vou negar que para mim foi uma experiência única e renovadora, mas passei por diversos obstáculos. Já contei para vocês a primeira vez que sai na rua e pude ouvir os sons da cidade perfeitamente, foi maravilhoso e ao mesmo momento assustador redescobrir os sons. Ouvir bem não fazia parte da minha rotina e como toda adaptação é complicada a minha não foi diferente.

Até eu entender como eu me sentia e como meu aparelho auditivo funcionava passei por muitos contratempos. Uma coisa que sempre acontecia comigo era esquecer de colocar os aparelhos auditivos de manhã ou de remover quando ia dormir, nos meus primeiros meses era difícil me lembrar que eu era usuária de aparelho auditivo.

Você sabia que o cérebro precisa de um período para se adaptar?

Nós seres humanos somos adaptáveis, nos acostumamos com várias situações, mas precisamos de um período para digerir as informações e se entender em um novo contexto. Nosso cérebro necessita de um tempo para reaprender a ouvi e a interpretar os sons com o aparelho auditivo. Nos primeiros meses de adaptação eu usava o aparelho auditivo em determinados períodos do meu dia e fui aumentando com o tempo até conseguir ficar o dia inteiro.

É importante não tem pressa e não abandonar o seu aparelho auditivo nesse processo. Conheço muitos amigos que quase abandonaram seus aparelhos auditivos nesse período inicial de adaptação. Evitar lugares muito barulhentos também é fundamental para não se estressar e ter paciência.

Como lidar com a aceitação?

Outro fato que foi complicado principalmente para mim foi me aceitar, eu já havia entendido que precisava usar aparelho auditivo e que seria o melhor para a minha qualidade de vida. Mas entender e aceitar, é complementarmente diferente. Me aceitar, encarar o preconceito de frente o que eu sentia, que seria uma demonstração de fraqueza, ou por vaidade e não querer mostrar que eu estava envelhecendo. Tudo isso, foram pensamentos que me deixaram muito mal, foi uma fase triste que precisei do apoio de todos que amavam.

Contar com a ajuda de amigos e familiares foi essencial no meu processo de adaptação. Outra pessoa fundamental nessa caminhada foi a minha fonoaudióloga, ela me auxiliava em tudo e até hoje tira todas as minhas dúvidas. A regulagem correta do meu aparelho auditivo foi graças a ela e por isso minha adaptação foi rápida.

Os procedimentos fundamentais na minha adaptação com meu aparelho auditivo foi ter o apoio da família, dos amigos ouvintes, dos amigos também usuários de aparelho auditivo que eu fui adquirindo e também da minha fonoaudióloga. Mas a chave principal foi eu mesma, eu ter paciência com o meu processo de adaptação e me entender como usuária de aparelho auditivo.

Durante esse tempo de adaptação criei um diário. Todos os dias anotava descobertas sonoras, sentimentos e que me deixava irritada e também aquilo que me deixava grata. Além de me ajudar a me compreender melhor também auxiliou minha fonoaudióloga nos ajustes do meu aparelho auditivo.

Pessoal, fica aqui o relato de hoje e também dicas valiosas para quem está passando por esse momento.

 

Marcadores


Por Dora

19 de novembro de 2020
Nós usamos seus dados para analisar e personalizar nossos anúncios e serviços durante sua navegação em nossa plataforma. Ao continuar navegando pelo site MyDO você nos autoriza a coletar tais informações e utilizá-las
Voltar